Ainda não há comentários

Um clamor por libertação – Uma oração puritana

Pai Celestial, salva-me completamente do pecado. Sei que não sou justo por minha própria justiça, mas almejo e anseio ser semelhante a ti; Sou teu filho e devo espelhar tua imagem, Capacita-me a reconhecer minha morte para o pecado; A estar surdo para os seus apelos, quando ele me tenta. Livra-me do ataque e do domínio do pecado.

Concede que eu possa andar como Cristo andou, viver na novidade de sua vida, a vida de amor, a vida de fé, a vida de santidade. Aborreço meu corpo de morte, sua indolência, inveja, maldade, orgulho. Perdoa, e extermina tais vícios, tem misericórdia da minha incredulidade, do meu coração corrupto e vacilante.

Quando tuas bênçãos me sobrevêm, começo a idolatrá-las, e ponho minha afeição em qualquer objeto querido — filhos, amigos, riqueza, honra; Purifica-me deste adultério e concede-me castidade espiritual; lacra meu coração para tudo que não tu mesmo. O pecado é meu grande mal; Que tua vitória sobre ele seja clara à minha consciência, e visível em minha vida.

Ajuda-me a ser sempre devoto, confiante, obediente, resignado, confiando em ti como uma criança em seu pai, a amar a ti com alma, corpo, mente, força, a amar o meu próximo como a mim mesmo, a escapar do temperamento pecaminoso, pensamentos críticos, palavras difamadoras, maldades, descortesias, instrui minha língua e vela à porta dos meus lábios. Enche-me diariamente com graça, para que minha vida seja um mar de água doce.

Tradução: Márcio Santana Sobrinho.
Extraído de: The Valley of Vision: A Collection of Puritan Prayers & Devotions, editado por Arthur Bennett, p.92

Publicar um comentário