1

Saulo, convertido – Atos 9.1-15

Introdução

A história de Saulo é muito conhecida. Ele, que,mais tarde veio a se tornar o Apóstolo Paulo. Ele nasceu em Tarso, na Ásia Menor. Tarso, era uma cidade universitária. Talvez, por isso, Saulo tenha recebido uma boa instrução. Ele nasceu em lar religioso. Filho de Judeus, tornou-se fariseu e estudou aos pés de um dos mais eminentes mestres da época, chamado Gamaliel. Saulo sempre foi muito religioso. Ele achava que perseguindo os cristãos estava defendendo sua religião das heresias do seu tempo. Mas Deus tinha um plano para sua vida. E chamou-o insistentemente. Ele resistiu, mas acabou cedendo ao chamado do Espírito Santo e houve a sua conversão a Jesus. O texto básico relata o acontecimento que o levou a essa conversão.

Saulo e a conversão

Embora zeloso e sincero na religião de seus pais, resistiu muito à ação e ao toque do Espírito Santo (At. 26.14). Deus já o vinha chamando. Em Atos 22.14, Ananias disse a Saulo que o Senhor já o havia escolhido havia algum tempo. Deus chama de maneira variada: a Saulo jogou por terra; a Lídia chamou de modo suave (At. 16.14). Mas, quando Ele chama, ninguém consegue resistir ao Seu chamado (At. 26.14-15). Deus pode chamar por um sermão que alguém ouviu, por um hino que alguém escutou, por um texto bíblico, por uma história que ouviu, por um fato que aconteceu, através do discipulado. Deus chama para fazer daqueles que chama “um vaso de honra em suas mãos”.

Conversão é o mesmo que voltar-se para Deus

A conversão consiste em nossa volta para Cristo. Não é mera mudança de religião. É como se a pessoa estivesse caminhando para um abismo (o pecado) e resolvesse, ao ouvir a voz do Senhor (Atos 9.4), marchar em sentido oposto. A pessoa estava de costas para Jesus e voltada para o pecado. Na conversão, a pessoa da às costas para o pecado e se volta para Jesus, o Salvador, abandonando o pecado. “No Antigo Testamento é dito que Deus faz os homens se voltarem para Si”. O fato é o mesmo para todos, mas as circunstâncias podem variar, conforme o temperamento, a educação religiosa, as influências do ambiente, etc. A conversão pode ser bem marcante, mais suave, gradativa, mas sempre vai se caracterizar por uma verdadeira transformação de vida (At. 9.26-27).

Os sinais da conversão

A conversão transmite à pessoa sossego de espírito, certeza da salvação e objetivo de vida. Além disso, os fatos da vida da pessoa confirmam essa mudança. Saulo mostrou que era convertido pelos fatos e atos na continuidade de sua vida. Podemos observar isso lendo 1Timóteo 1.13, 1Coríntios 15.9, Atos 13.50, 1Tessalonicenses 1.14-15. Entre as muitas evidências da conversão podemos assinalar: a convicção religiosa ou exercício de uma fé inabaláveis, como a de Paulo (2Tm. 1.12); vida piedosa, prazer no estudo da Bíblia, prazer na oração e em estar com os irmãos nos cultos e reuniões e responsabilidade. O crente sente-se responsável, diante de Deus, pela salvação daqueles que estão ao seu redor. E sente que deve, também, com seu trabalho, pela salvação de outros, fidelidade aos princípios cristãos, prazer em falar que é crente, e reconhecimento dos que estão à sua volta de sua conversão a Cristo (At. 4.13).

Conclusão

Tenha convicção da sua conversão e seja um instrumento nas mãos de Deus para levar a Sua palavra e o Seu nome a todas as pessoas (At. 9.15). Recebemos o Espírito Santo (At. 9.17) e no poder do Espírito Santo devemos pregar o Evangelho (At. 9.20). Somos lavados no sangue de Jesus e somos purificados de todo pecado. Somos filhos do Rei. Somos sal da terra. Somos luz do mundo. Nos tornamos, pela graça de Deus, cidadãos do céu e ministros da nova aliança.

Rev. Hamilton G. da Silva. Publicado no Boletim 938 | 06 de setembro de 2015.

Comentário (1)

  1. Reply
    Manuel Costa Alves says

    Meu admirável e tão santo Paulo, discípulo do Senhor
    Que foste um majestoso e muito digníssimo pregador
    Que apesar de seres assim forte, firme e zeloso judeu
    Foste Seu sereno santo com a linda força que Te deu

    Convertes-te à linda e firme fé cristã
    Como gente firme e forte que não há
    Porque Quem perseguias te apareceu
    E tu lhe entregaste a força que te deu

    Fizeste-te missionário e bom doutrinador
    Naquelas tão boas coisas do Teu Senhor
    E sempre tão cheio da Sua boa inspiração
    Deste-te ao Senhor com linda decapitação

    Que bem e como sempre soubestes ser
    Do divino e santo bom Jesus até morrer
    Dando-lhe todo o teu grandioso interior
    Nas tantas e boas coisas do teu Senhor

    És tu com o nosso tão santo apóstolo Pedro
    Dois grandes apóstolos, sem qualquer medo
    Que rogueis sempre muito bem por todos nós
    Que sempre frágeis e fracos recorremos a vós….

Publicar um comentário