Ainda não há comentários

Procrastinação

Nós gostamos de deixar tudo para a última hora. É pagar conta na última hora; é chegar ao serviço em cima da hora (e na igreja depois da hora!), e assim por diante. A isso damos o nome de procrastinação. Procrastinar é deixar para depois o que deveria ser feito agora. Também é se sobrecarregar com atividades e compromissos além de sua capacidade.

Em Efésios 5.15 e 16 Paulo nos ensina a “remir o tempo”. E o que isso quer dizer? É resgatar o tempo do desperdício, ou retirar o tempo do lixo, ou rejeitar o abuso com o tempo. Então, ele nos ensina a viver por prioridades e não por pressão. Assim, precisamos estar atentos em como lidamos com as mordomias que o Senhor nos concede, que são elas: do tempo, do corpo e dos bens. E mordomia é tudo o que usamos. E devemos fazer isso com sabedoria.

Mas a procrastinação faz com que eu use o tempo com desperdício, sem objetivo. Que eu use o meu corpo sem cuidado, comprometendo até minha saúde. E que eu use dos bens de forma indolente, me sobrecarregando em dívidas e ficando sem recursos até mesmo para ser dizimista e investir no Reino de Deus.

Assim, sabemos quais são nossos deveres. E o principal deles é seguir a Jesus. Porém, nada conseguiremos à parte da força e do poder que vêm de Deus, os quais nos são derramados quando oramos e buscamos viver pela fé. Quem confia apenas em si mesmo é um tolo. E tolo é outra maneira de dizer pecador.

Rev. Baltazar Lopes Fernandes | Publicado no boletim 1027 – 28 de maio de 2017.

Publicar um comentário