Ainda não há comentários

O comportamento do cristão diante do mundo

O verdadeiro cristão procura comportar-se de maneira a agradar a Deus. Por essa razão, procura ser um imitador de Cristo, pois sabe que o mundo e a Igreja são dois grupos distintos. O mundo está sob o domínio de Satanás (Jo.12:31). Já a Igreja pertence exclusivamente a Deus (Ef.5:23,24; Ap.21:2). Amar ao mundo significa dedicar-se aos seus valores, interesses e prazeres. Significa ter satisfação naquilo que ofende a Deus.

O próprio povo de Israel, que se tornou uma nação respeitada, teve seus bons e maus momentos. Quando se comportava de acordo com a vontade divina, era bem sucedido. Caso contrário, sofria as consequências de seu mau comportamento.

Quando Deus chamou Abraão fez com ele um concerto e lhe prometeu muitas bênçãos, mas também exigiu alguma coisa ao dizer-lhe: “Eu sou Deus Todo Poderoso; anda na minha presença e sê perfeito”(Gn.17:1). Ele devia andar em Integridade.

O cristão deve ser íntegro tanto em suas ações (Mt.12;33; Rm.6:22), como em suas palavras (Cl.4:6;Mt.5:37). Cabe ao mesmo, andar com sabedoria e ter uma palavra sempre agradável e temperada. A conversa do crente deve ser cativante, amável e graciosa. Os filhos de Deus devem ter uma linguagem originada na graça de Deus e marcada pela pureza (Ef.4:29).

 Linguagem e atitudes indecentes podem se tornar em hábitos tão arraigados que estouram subitamente em circunstâncias inesperadas (Mc.14:71). O apóstolo Pedro recomenda o seguinte: “Quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente” (1 Pe.3:10).

Rev. Baltazar Lopes Fernandes | Publicado no boletim 1033 – 09 de julho de 2017.

Publicar um comentário