Ainda não há comentários

“Homem e Mulher os criou” (Gn.1.27)

Deus criou os seres humanos, macho e fêmea, à sua própria imagem. E Ele viu que isso era muito bom (Gn.1.31). Homem e mulher serviriam como agentes de Deus para cuidar, gerenciar e governar toda a criação. Ambos foram igualmente criados à imagem de Deus e desfrutam igual acesso a Deus pela fé em Cristo Jesus. E Deus os cria e chama para um envolvimento significante privado e público na família, igreja e vida cívica, vivendo em santa e dedicada comunhão com seu Criador.

E ambos foram feitos para complementar um ao outro na união de uma só carne, que estabelece a única norma definida e aceita por Deus de relações sexuais para homens e mulheres. Assim, o casamento serve como um tipo da união entre Cristo e sua igreja. Também, Deus ordena que eles assumam papéis distintos que refletem o relacionamento de amor entre Cristo e a igreja. Ou seja, o marido exerce papel de cabeça (que demonstra o amor carinhoso e sacrificial de Cristo à igreja), e a esposa se submete ao seu esposo (que demonstrar o amor da igreja por Cristo).

Na igreja, homens e mulheres são encorajados a servir a Cristo e a desenvolver todo seu potencial nos múltiplos ministérios do povo de Deus. O papel distinto de liderança dentro da igreja, que é dado a homens qualificados, é fundamentado na criação, queda e redenção, não devendo ser desviado por apelos a desenvolvimentos culturais. Quando assim servimos a Deus, como homens e mulheres conscientes de seus papeis na família, igreja e sociedade, seremos profundamente abençoados pelo nosso Criador e Senhor.

Rev. Baltazar Lopes Fernandes | Publicado no boletim 1024 – 07 de maio de 2017.

Publicar um comentário