Ainda não há comentários

A Graça de Deus

A Bíblia relata que Saulo de Tarso perseguia e devastava a igreja de Deus (Gl 1.13). Naquela época ele estava distante da comunhão com Deus, seus desejos pecaminosos eram incontroláveis e insaciáveis. Entretanto, a maravilhosa graça de Deus, manifesta por meio de seu Filho Jesus Cristo impactou a vida de Saulo. Mais conhecido como Paulo, ou apóstolo dos gentios, este homem impactou o mundo com o Evangelho da Graça.

Em sua epístola a Tito 2.11-15, o apóstolo Paulo nos ensina que a graça de Deus:

Manifestou-se para salvação – a expressão verbal “manifestou” vem do grego epefane que significa – mostrar-se, trazer a luz, tornar-se visível, revelar-se. Aquilo que antes estava oculto tornou-se manifesto através da pessoa de Jesus Cristo, para salvação dos eleitos de Deus.

Manifestou-se para educar-nos – a graça de Deus é pedagógica, ela ensina e disciplina. Seu propósito é afastar o mal dos eleitos de Deus. No versículo 12 observamos o ensino duplo da graça de Deus, ela nos ensina a renunciar a impiedade e as paixões mundanas, e ao mesmo tempo capacita-nos a vivermos no mundo de Deus, de forma sensata, justa e piedosamente.

Manifestou-se em bendita esperança – A Igreja esta vivendo entre estas duas manifestações, e durante esta peregrinação ela precisa viver a bem-aventurada esperança, aguardando “a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus”. Aguardar tem o sentido de “esperar por”, “ter expectativa”, A graça de Deus capacita o cristão a esperar a promessa da segunda vida de Cristo Jesus. Esta vinda será gloriosa e a Igreja será glorificada através de Cristo.

Manifestou-se doadora – Através do pacto Trinitário, Cristo voluntariamente doou-se em favor dos eleitos de Deus. Somente pela graça os eleitos são salvos. Portanto, somente os eleitos gozam desse benefício em Cristo Jesus.

Seminarista Sidicleide R. Barbosa | Publicado no boletim 1047 – 15 de outubro de 2017.

Publicar um comentário